BLOG DO AGRUPAMENTO 449 - SANTISSIMO SACRAMENTO, PORTO
Terça-feira, 8 de Abril de 2008
Educar na religião

Escrito por Por G. K. Chesterton, em Charlas II, Acerca de las nuevas ideas, Obras completas I, Ed. Plaza Janés,

É comum ouvir: "eu não quero impor uma religião ao meu filho, quero antes dar-lhe a liberdade para que ele possa escolher a sua própria religião". Se os pais educam os seus filhos em todas áreas, porque não devem os pais educá-los também na religião?

Educar na religião?
 
Eis uma frase que ouvi há dias a uma pessoa muito agradável e inteligente, e que ouvi também, centenas de vezes, a centenas de pessoas. Uma jovem mãe disse-me: «Não quero ensinar nenhuma religião ao meu filho. Não quero influir sobre ele; quero que seja ele a escolher por si mesmo quando for mais velho».

Este é um exemplo muito comum de um argumento corrente, que se repete com frequência e que, no entanto, nunca é verdadeiramente aplicado. É evidente que uma mãe sempre estará a influir sobre o seu filho. Da mesma maneira, a mãe poderia ter dito: «Desejo que seja ele a escolher os seus próprios amigos quando for mais velho; por isso não quero apresentar-lhe as primas e os primos». Mas a pessoa adulta não pode em nenhum caso escapar à responsabilidade de influir sobre a criança; nem sequer quando impõe a si mesma a enorme responsabilidade de não o fazer.

A mãe pode educar o filho sem lhe escolher uma religião, mas não sem lhe escolher um meio ambiente. Se ela optar por deixar de lado a religião, estará já a escolher um meio ambiente, e, além disso, um meio ambiente funesto e contranatural. A mãe, para que o seu filho não sofra a influência de superstições e tradições sociais, terá de isolar o filho numa ilha deserta e educá-lo aí. Mas será a mãe a escolher a ilha, o lago e a solidão; e é tão responsável por actuar dessa forma como se tivesse escolhido a seita dos menonitas ou a teologia dos mórmones.

É completamente evidente, dizem, para quem pense durante dois minutos, que a responsabilidade de orientar a infância pertence ao adulto, pela relação que existe entre este e a criança, completamente aparte das relações de religião ou de irreligião. Mas as pessoas que  repetem esta fraseologia não pensam nela mais de dois minutos. Não tentam unir as suas palavras a uma razão, a uma filosofia. Ouviram esse argumento aplicado à religião, e nunca pensam em o aplicar a outra coisa fora da religião. Nunca pensam em extrair essas dez ou doze palavras do seu contexto convencional e aplicá-las a qualquer outro contexto.

Ouviram dizer que há pessoas que resistem a educar os filhos na sua própria religião. Poderia haver igualmente pessoas que se recusassem a educar os filhos na sua própria civilização. Se a criança, quando for mais velha, pode preferir outro credo, é igualmente certo que pode preferir outra cultura. Pode zangar-se por não ter sido educado como um bom sueco burguês; pode lamentar profundamente não ter sido educado como um sandzmanian. Do mesmo modo pode lamentar ter sido educado como um cavalheiro inglês e não como um árabe selvagem do deserto. Pode – com a ajuda de uma boa educação geográfica –, enquanto examina o mundo da China ao Peru, sentir-se invejoso pela dignidade do código de Confúcio ou chorar sobre as ruínas da grande civilização inca. Mas, evidentemente, alguém teve de o educar para que pudesse chegar a esse estado de lamentar uma coisa ou outra; e a responsabilidade mais grave de todas é talvez a de não guiar a criança para nenhum fim.



publicado por 449cne às 17:09
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Jota Joti 2013 - De que é...

Super Gri-gri Jota 2012

Mundo do Alladin Joti 201...

Mundo Feliz JOTI 2012

FOGO DE CONSELHO SANTISSI...

"O Mundo Debaixo de Água ...

Mundo do Perry - JOTI 201...

A minha visita

DE QUE TAMANHO É O TEU MU...

Mundo Camaleão

arquivos

Outubro 2013

Outubro 2012

Abril 2009

Dezembro 2008

Outubro 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Novembro 2007

Outubro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

todas as tags

favoritos

Um ACANAC visto por quem ...

Escutismo - Importante Pe...

Uma mensagem de Baden Pow...

Abertura Oficial

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds